Lembro-me bem que, quando jovem, escutei vários colegas meus de escola e faculdade dizerem a expressão: vai aprender por osmose.

Na época eu nem sabia bem o que era osmose, e hoje me deparo com a teoria dos neurônios – espelho, e do campo morfogenético, o que me faz voltar ao passado e admitir que realmente, podemos aprender por osmose.

Não que venhamos a fazer complicados cálculos de matemática ou física nem tampouco entender de química ou de filosofia, entre outros assuntos.

Mas o que dizer de uma osmose moral, como podemos nos melhorar pela imitação? Ou por simples contato? E se não houver contato?

Todos conhecemos a história do centésimo macaco. Mas vou resumi-la aqui.

———-
Este conteúdo está disponível para as assinaturas Premium.
Log In Registrar
———-