Sempre que nos identificamos com alguma coisa, seja medo, convicção, vício, etc., terminamos por ser dominados por estas situações. Elas ditam comportamentos, nos fazem tomar decisões com base em ideias quase sempre fora da realidade e fatalmente nos desviamos do caminho da felicidade.
Para nos libertarmos, precisamos “desidentificar” estes elementos de nosso Eu, repelindo um a um. Com isto, ganhamos força e lucidez no olhar e clareza nos momentos em que precisamos tomar decisões. Para isso, quase sempre contamos com o nosso Eu Vigilante!

———-
Este conteúdo está disponível para as assinaturas Premium.
Log In Registrar
———-